Vania Leal Cintra - minhatrincheira@uol.com.br
 
O candidato a primeiro-ministro italiano (…) apresentou sua demissão após um escândalo envolvendo sua formação superiorA razão da demissão foi a descoberta de que Giannino não tinha diploma de ensino superior, nem mestrado, ao contrário do que ele mesmo declarou durante as campanhas eleitorais italianas.”
 
Leu? Entendeu? Ou não entendeu? É difícil de entender, mesmo. Muito complicado.
 
Mas não pense que você não entendeu porque é bobo. Nada disso! É que você não conhece a realidade. E nem pense que tudo se passa como no Brasil, onde tudo vai indo muito bem, no passo certo.
 
Pense assim: é que, na Itália ou em qualquer outro lugar deste melhor dos mundos tudo é muito diferente…  Todos marcham no passo errado.
 
Porque no passo certo vamos marchando nós.
 
—————————————————

Candidato a primeiro-ministro italiano se demite por escândalo

ROMA, 20 FEV (ANSA) – O candidato a primeiro-ministro italiano e presidente do partido “Fazer para interromper o declínio”, Oscar Giannino, apresentou sua demissão após um escândalo envolvendo sua formação superior.
A razão da demissão foi a descoberta de que Giannino não tinha diploma de ensino superior, nem mestrado, ao contrário do que ele mesmo declarou durante as campanhas eleitorais italianas.
O escândalo que envolveu Giannino, um dos fundadores do novo movimento político de inspiração liberal e que vinha crescendo nas pesquisas de voto, começou na segunda-feira, quando um outro fundador do “Fazer”, o economista Luigi Zingales, professor da Faculdade de Cconomia da Universisade de Chicago, escreveu uma longa mensagem no Facebook na qual denunciava a falta de títulos acadêmicos de Giannino e apresentava sua demissão do partido.
Giannino, jornalista econômico muito conhecido na Itália, declarou em várias entrevistas concedidas durante a campanha eleitoral ser formado em Economia e Direito e ter mestrado na Universidade de Chicago. Zingales, por sua vez, disse ter descoberto “por acaso” a falsidade dos títulos acadêmicos.
Hoje foi convocada uma reunião do comitê central do partido, durante a qual Giannino apresentou suas demissões como presidente.
“É uma regra clara: quem erra, paga. Deve valer na política, com o dinheiro público, e eu começo do particular”, escreveu Giannino no Twitter, anunciando a decisão de se demitir.
A cúpula do partido decidiu nomear a advogada Silvia Enrico como novo presidente de “Fare”.
É a primeira vez na historia da Itália que um candidato a primeiro-ministro apresenta as demissões a poucos dias das eleições gerais, que irão acontecer nos dias 24 e 25 de fevereiro.
O partido “Fazer para interromper o declino”, foi fundado em dezembro de 2012 e estava conquistando sempre mais consenso, sobretudo na classe média italiana. A formação chegou a ser fonte de preocupação para o ex-primeiro-ministro Silvio Berlusconi, que atacou Giannino várias vezes durante a campanha eleitoral, alegando que os votos ao “Fazer” eram “inúteis”.
http://noticias.uol.com.br/ultimas-noticias/ansa/2013/02/20/candidato-a-primeiro-ministro-italiano-se-demite-por-escandalo.htm
Permitida a reprodução total ou parcial desde que citados autor e fonte.
®2003 - 2018 www.minhatrincheira.com.br / www.minhatrincheira.com.br todos os direitos reservados.